sábado, abril 17, 2010

Ciranda


Clarinha disse que ia ser pra sempre aquela coisa e que as duas podiam até morar juntas, que nenhuma panela seria capaz de separá-las. Mas Joana foi mudando de cor e ela e Clarinha se desentenderam mesmo sem ter, assim, tanto contato.
Os cacos ficaram espalhados no chão e o mundo inteiro participou das brigas. Verdadeiro espetáculo ver gritos de duas moças tão bonitas. Nem Clarinha nem Joana sabiam ao certo como tinha acabado aquele laço bonito.
Mas um dia Clarinha disse a Joana que a culpa era das mudanças de personalidade. Joana ficou triste triste e até desabou no chão de chorar. Pensou que devia se moldar a Clarinha, mas esqueceu que as coisas têm de ter dupla face.
Era muito triste pensar que não havia solução.

6 comentários:

Tiago Moralles disse...

Tudo tem dupla face.
Bom ler por aqui também.
Microbeijo.

Inês disse...

Ai, essas velhas histórias com tão novas e fortes palavras!
Beijocas, moça!

Diego Cosmo disse...

http://dcosmo.blogspot.com/ - Nova postagem! "cosmo a pé"

Juan Moravagine Carneiro disse...

Algumas vezes o passado retorna para nos dizer "bom dia"!

Matéria Escura disse...

amizade é um negoço que tem ser regado constantemente, se não morre...
nossa, q piegas rsrs
mas...
sei lá...

Daniel de Souza Montenegro disse...

bacana muito bom !!