terça-feira, fevereiro 03, 2009

Depois

Andou desprendendo os fluidos do próprio corpo. Como se derretesse. Tinha um certo sorriso e um certo destempero. Andava como quem se perde. Desmancha.
Era tudo um acúmulo de coisas não ditas e de palavras ouvidas fora dos horários. Devia haver peles de outras pessoas grudadas em camadas suas.
Sentia-se feita de areia e tinha muito medo de não conseguir continuar.
Pararia.
Devia ficar quieta por um bom tempo.