segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Mariana XXVI - Segunda temporada

Acelerou os seus motores
Pisou fundo e foi pra longe
Nem queria ombro algum.
Queria nada que não fosse vento
E fuga.
Mariana nem sorria nada por dentro.
Ficava longe e aquilo por si só parecia bastar.
Então, foi um gole de cerveja com um velho amigo
Sem nenhuma ponta de dedo.
Era pra ser só uma fuga
Mas ele chegou com sorrisos
E ela usava uma bela saia.
Mariana se enroscou entre as belas pernas
Do velho amigo
Mariana beijou corpo inteiro
E se fez vento
Entre feridas abertas dela e dele
Entre tudos e nadas
Compromisso de nem sim nem não.
Estava ali quase afogada em suor
Querendo apenas sentir as suas ancas flácidas
Pressionadas por mãos fortes
De amigo estranho
De sempre.