quarta-feira, abril 10, 2013

Meu poema das necessidades


Para encalço, há cálcio.
Pare agora o mundo. Pare pra a gente subir.
Televisionem a revolução.
Quero ouvir mais grito que zunido.
Rasgar, perder, romper amarras como hímens, afundar em montanhas de gente, chafurdar na espuma de mais que amor.
Grite, por favor, seu grito mais profundo.
Meu coração não é maior que o mundo.
Meu coração nem é de posse, é de ponte.
Onde ontem eu quis ser mãe, hoje quero pergunta, hoje quero resposta, hoje quero gosto de agora na boca.
Cantem nos elevadores,
Leiam poemas do Bandeira.
Estejam embriagados, mas profundamente sóbrios
Sigam as suas verdades
Gritem no compasso de pandeiro, que a nossa percussão de peito é maior, bem maior, do que esse silêncio apático que faz necessário um sono longo. 

2 comentários:

Anônimo disse...

gadllzki [url=http://www.glouisvuittontaschenoutlet.info/]louis vuitton taschen[/url] rcjidxmw xgyzqt djhktn [url=http://sbac.org/de/monclereaby.aspx]http://sbac.org/de/monclereaby.aspx[/url] nbfuiw [url=http://www.longchampoutletsttaschen.info/]www.longchampoutletsttaschen.info[/url] okufxw [url=http://www.deralphlaurensaleoutlet.info/]ralph lauren outlet[/url] letouczb [url=http://www.monclerjackennoutlets.info/]moncler outlet[/url] llfqvk [url=http://www.deralphlaurensaleoutlet.info/]ralph lauren sale[/url] otgkec npheqlx xmdlttuks

Anônimo disse...

[url=http://blue-pil.com/item/viagra.html]cheap viagra[/url]