sábado, maio 15, 2010

A parte poética de Lord V

Eu, por mim, deixava logo claro que queria mesmo Lord V. Mas Lord V precisa ser distante pra ser Lord. Então eu aqui - da plebe - fico toda olhos e escondendo o jogo.
Seria muito mais fácil se Lord V não fosse todo dentes e fosse bonito. Queria eu que ele tivesse cara de ter sido feito, que ele tivesse um corpo perfeito, que ele não tivesse marcas de expressão e parecesse de cera.
Se assim fosse, eu nem de longe quereria Lord V rasgando o caminho com aquela cara e aquela voz. Muito menos pensaria em mãos. Mas Lord V não é bonito de primeira e esse é o pior tipo de gente.
Não sei se quero perder aqueles olhos de Lord V e aquela cara que parece ter um traço novo o tempo todo. Uma coisa bonita sempre a ser descoberta. Lord V em pessoa eu quis amontoado em mim - gigante.
Só não sei como fica o flerte se vira coisa densa e posta na mesa.
Da vitrine, Lord V parece uma bela janta

4 comentários:

Juan Moravagine Carneiro disse...

De Lord...só conheço Byron!

Abraço

Josi disse...

Oieee, primeira vez no seu blog,mas ja adorei.
Que texto bacana e diferente...
Acho que ja te falaram isso antes,mas nessa sua foto tu ta a cara de Maria Rita!
kkkkkkk....
Estou te seguindo.
Beijos

Rafael Magalhães disse...

simples e bonito,!

Rosa disse...

"Mas Lord V não é bonito de primeira e esse é o pior tipo de gente". É BEM por aí... identificação total, again. hahaha

=**