sexta-feira, outubro 09, 2009

Pesquisa de campo

Três ou quatro detalhes escaparam aos dois quando decidiram que era hora de parar. Não devia ter sido fim, mas nem ela nem ele sabiam lidar com trocas de olhares posteriores.
Ela era dessas pessoas secas que acham que absolutamente tudo é matéria. Que cada coisa serve para coisas futuras. E ela ia comendo esses detalhes para compor canções - pouco ligando se ele iria ou não ouvir.
Os homens não eram mais que objeto, teste, estudo de caso.
É claro que ela se envolvia. Se não o fizesse, não conseguiria compor qualquer coisa e tampouco haveria verdade. Mas ele gostava de afeto enquanto ela gostava de carne.
Então, decidir parar de não se aproximar foi fatal.
Toque e fim.