sábado, fevereiro 10, 2007

Mariana VIII

Mariana hoje, se lembrou do Bicho Papão.
O Bicho Papão é um babaca com quem Mariana esteve, mas que nunca esteve de verdade com ela.
Por esses dias ela também esbarrou com o álibi, aquele que não a deixava mentir sobre nada, mas que era álibi por que provava que por um tempo ela teve paixão fixa.
O Bicho Papão tem barba grande e anda assustando Mariana.
Ela não quer esbarrar com ele, flertar com ele, beijá-lo ou simplesmente perceber que ele ainda existe.
Mariana rompeu com o Bicho Papão há tempos atrás.
Ela disse a ele que ele a fazia sentir nojo e ter vontade de vomitar.
Não mentiu.
O Bicho Papão não é uma boa.
Não vale à pena.
Não cabe nem como rima de um poema.
Mas eu posso falar, que ele é problema só da Mariana.
E ela não quer esse problema.
Mariana anda entretida com pontadas óbvias de nada que parece alguma coisa.
Mariana riu-se do álibi.
Ela já teve paixão, álibi e Bicho Papão.
E do óbvio ela foge, faz parte do show.
O óbvio só traz confusão.
Saudades até do Bicho Papão.
Mariana foge é da contramão.
o óbvio não, tem que ser mão, e eu apóio.
Não adianta nada, Mariana não me ouve.