sábado, janeiro 05, 2008

Poema das uvas

Roubei uvas na cozinha
Não vou escrever nada hoje
Seria confessional
E piegas
Disse que não fazia poemas
As pernas dóem de caminhada
Tive vontade de mar,
como das uvas que roubei
Não pude entrar no mar
Não quero mais pieguice
Nem gosto de Poesia...
É mentira.
"Entre pés de laranjeiras
Entre uvas meio verdes
E desejos já maduros
Entre uvas meio verdes?
Meu amor, não se atormente
Certos ácidos adoçam a boca murcha dos velhos" *
As uvas eram roxas e pequenas e ácidas
fazem tudo funcionar
Não quero escrever mais nada
Seria poesia
E piegas.

*Trecho mal transcrito de Drummond

10 comentários:

Bellon disse...

Uvas podem curar coçeira. Ou não.

bia de barros disse...

uvas ao mar! e vinho do porto.

feliz ano novo, priminha.

*=

darsh. disse...

cerveja?

Fiore disse...

nhai.

fiquei perdida.
quer mar ou uva?

eu quero rock e vcs!
saudades!
=~

Carlos Manuel disse...

Eu adorei este estupido poema das uvas.

Anônimo disse...

Olá sou a Soraia Melo, gostava de me encontrar com a autora, na escola básica 2.3 Comandante Conçeição e Silva. Se fosse possivel era na biblioteca da minha escola.
Os cumprimentos
Soraia Melo/5.ºG/n.º25

Anônimo disse...

Olá cagalhona podre. Já puseste ovos de merda?

Anônimo disse...

Olá Gertrudes Tangarrina, já comeste a sopa, o almoço, o jantar? Se não comeste nada, vais para a cama. Beijinhos!

Anônimo disse...

Olá, o Poema das Uvas é bonito!One Kiss!

Anônimo disse...

Olá, era para fazer referência ao meu serviço de apoio domiciliário para idosos que visa ajudar estas pessoas em diversos serviços de apoio tais como: limpezas, transporte ocasional, lembrança de medicação, preparação de refeições, visitas a familiares ou vizinhos, etc. ~
Se estiver interessado ligue para:
966275778
965087984