sábado, outubro 21, 2006

Anjo malandro

Um anjo com asas quebradas
Asas brancas com pontas vermelhas
Procurando as flechas que o primo perdeu
As flechas que estão dentro dele.
Engoliu-as quando bebê!
Um olhar e uma palavra são flechadas.
Cada esquina uma amante
Todas elas satisfeitas.
Que de onde sai a flecha que fere
Sai a morfina que faz delirar.
Anjo bom buscando uma flecha
Anjo amante, lírico, romântico
Anjo amante ama a figura.
Não qualquer figura!
A figura da mulher. Toda mulher.
Ama mulher como mulher por ser mulher
Anjo sobrinho de Vênus
Filho da terra
Nem Marte nem Vênus
Anjo malandro que vem de longe
Quer a parte da flecha que perdeu
Busca incessante em cada canto
Busca onde há esperança
No fundo há medo de achar
Já que achar a flecha é amar.
Cada amante uma flechada,
Mas qual delas tem a dourada?
Aquela que o primo lhe deu...
Que o primo disse pra guardar com cuidado
E o anjo guardou! Ele engoliu!
Só precisa saber se ela foi
Num dos milhares de sorrisos
Pro coração duma das mil amantes.
A busca então muda...
No beijo quem sabe ache parte da flecha.
Anjo amante...
A flecha está em todas elas.
O amor é a mulher.
Anjo nunca satisfeito.
Migalhas de flecha não ferem.