sábado, janeiro 21, 2012

esfinge

Qual o tamanho do medo que você tem das minhas pernas? A velocidade das coisas aparentes talvez não seja sincronizada cabeça a cabeça. Olha, não é nada. Só um sorriso ou outro, umas conversas, sincronia.

Eu não sou exatamente perigosa. Ao contrário, volátil. Uma dessas coisas pequenas de se por no bolso. Só que arde. Queima. Um amontoado ambulante de hormônios e a cabeça cheia de histórias.

Você não sabe a briga que foi pra que eu tivesse hoje essa forma, essa cara e esse furacão. Mas é bem simples, ferro e fogo, pronto.

Não tome cuidado. Abrace e pronto.

4 comentários:

Andressa C. disse...

Interessante, medo de pernas.

Estéphanie Mognatto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Estéphanie Mognatto disse...

Gostei do: Não tome cuidado. Abrace e pronto.

Me lembra pessoas.

Marcela Rangel disse...

Foi esse o texto que tanto gostei, partner.
:)