quarta-feira, novembro 03, 2010

daquele troço preso

E se você estiver certo e eu tenho mesmo um monstro no estômago?
Como viver sem conviver na praça de convites? - já tinha perguntado o poeta.
Mas se eu não estou com fome e como vozes alternadamente como se nada fosse de fato importante, eu fico com azia. meu estômago vai inflando e a azia vai crescendo e o pescoço fica insuportavelmente dolorido.
Então esse monte de advérbios de modo e superlativos. Eu tristíssima, calmíssima, perdidamente estouradíssima.
Coisas bregas por metro quadrado. Revoluções por minuto.
Não te faço a pergunta de sempre. Já sei a resposta do mês.
Agora, you don't believe in love.
Tento de novo semana que vem assim que conseguir digerir mais da metade.
Favor anotar na agenda pra tentar dessa vez algo de formal fora do corpo.

(mas tem também uma coisa. Quando eu fico chorosa e entalada assim, nunca sei se é paixão ou parte do ciclo menstrual.)

3 comentários:

gibin, thais disse...

concordo muito com o seu ps final! fico na mesma situação...

vamos tentar tomar um copo d' agua pra ver se conseguimos digerir melhor? haha

bjs

Anônimo disse...

Am gasit un site nou de [url=http://www.filmexxx.cc]filme xxx[/url]

Minha Lua disse...

ameii ...demais...acho que me enconto assim tbm...amei seus textos,...amo falar mas prefiro escrever,...eu ainda vou fazer jornalismo...c puder passa no meu blog ae...bjos