segunda-feira, outubro 25, 2010

co-ra-ção de eterno flêrte.

Avulsa e desatenta. Fugindo do mundo. desafinada, menino, precisa ver. A voz está falhando e meu corpo agora parece que tem cheiro. Pouca coisa mudou depois da última vez.
Tenho sentido vontade de escrever carta de papel por causa da Nayara, mas desaprendi sem teclado e acredito que tinta é coisa muito forte. Que terror, meu deus, caneta!
Não sei mais. Desaprendi o acúmulo das coisas e das pessoas na gente. Acho que nunca soube assim tanto acúmulo de uma só pessoa e tenho medo.
Sabe, ternura?
Semana passada e mês passado a ternura incomodou.
Aquele outro dia a ternura em forma de peso de corpo doeu nos ossos mais do que o colchão que me atrapalha a dormir.
Precisa ver, menino, preciso ver-te.

2 comentários:

Inês disse...

e aí, lindezura, vc tem facebook?
estou retomando a vida internética...
criei um facebook:
http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100001785335358
beijo!

Andressa disse...

quanta urgência