sexta-feira, outubro 29, 2010

alfa - macho

É a Gal, eu acho. Gritando que você precisa ver que bonito.
Quando eu vejo coisas bonitas eu fico querendo te mostrar - que você mesmo é muito bonito. Só queria te pedir que não me invadisse. De uma vez por todas - agressiva mesmo - qualquer coisa que eu sinta é problema apenas meu.
Não posso mais brincar de ser confessional que te incomoda.
Você é muito pesado.
mas tão leve que se eu soubesse fazia mesmo uma tatuagem. tem nada não. a única coisa que já quis tatuar foi você.
e pronto. Tinha que ter alguma coisa latina ou grega dizendo você em todas as letras.
Mas é que a lírica é tanta meu deus que não dá.
Um desses designers teria que recriar os tipos todos e um alfabeto novo.
Quando eu ficar rica contrato um linguista, coisa assim. Um cara desses bem inteligentes que te pegue a pele e faça letra.
Alguém aí que te congele.
mas aí a imagem fica tão doída.
Em mim você tão quente. Tão quente!

5 comentários:

Andressa disse...

Isso é amor em negrito no maior arial.

Vinicius Duarte disse...

Oi Aline, muito bom te rever no Seminário semana passada na UFES, mesmo que não tenhamos nos falado. Melhor ainda ler as coisas que escreves. Até...

Anônimo disse...

Adorei!

Mara Coradello

Anônimo disse...

oi aline...vc escreve muitoo bem...obrigada pela visita aki no Ifes de São Mateus...valeu muitoo a pena...acho que vou ser mesmo jornalista..rsrs..bjos

Aline Dias disse...

ô bonitinha, obrigada!