sexta-feira, setembro 11, 2009

Descalça

Da última vez que passou por aqui alguma coisa próxima de paixão, ficou toda presa nos pés. Primeiro os ossos pareciam fora do lugar, depois o pé simplesmente doía.
Eu acho que esmaguei a paixão.
Mas não. O certo seria dançar e pensar qualquer coisa como um respiro apaixonado para continuar sempre ofegante.
O homem só respira dignamente quando ofega.
Eu acho que o lance agora é cair no samba (talvez os pés façam subir alguma coisa).