domingo, novembro 12, 2006

Projeto de Cultura

O todo sem a parte não é todo. Não tem como ser. A sociedade toda funciona em ramos que se interligam e são inseparáveis, feito pintura barroca. Tudo se relaciona e se interliga. A sociedade toda é composta por partes que se fundem. Cada parte é um todo abrangente e a gente esquece que cada parte toda faz parte de um todo.
Um ser humano sofre influências de todo ramo ao mesmo tempo. É um paradoxo ambulante. A arte, a religião, a economia, a política e a matemática básica se chocam inconsciente e conscientemente em diversas cabeças que por vezes nem sabem da grandeza do que acontece. Tentar separar política e arte é um erro e um equívoco. Elas estão ligadas. Isso vai além do engajamento da música de Chico Buarque ou do teatro de Brecht. Arte e política são apenas formas de enxergar o mundo. É tudo cultura. A política deve, além de abusar da arte pra se tornar palatável, incentivar toda arte. E a arte deve beber também política para não ficar vazia.
A cultura faz parte do dia-a-dia: filmes, falas, festas, feijão com arroz, fetiches e faixas de recado, propaganda, alarme e afins. É preciso que se procure cultura e que se divulgue cultura. É preciso que haja comunicação em termos culturais. Um curso de comunicação social que faz parte do Centro de Artes precisa gritar a cultura. A comunicação é esse direito ao grito.
A comunicação molda a cultura e a divulga. Grita o que é bom e o que é ruim e expõe ambos em nome da tal imparcialidade, ou da publicidade. Por que não também na UFES? É quase lógica a necessidade, a vontade e o dever que o curso tem de divulgar a cultura.
Aí vem a hora em que a gente tem que falar do como. O como vem da interação entre estudantes, arte, cultura e desejos. É fazer a cultura uma champanhe borbulhante que todo mundo quer tomar. Precisa tomar. O como é menor que a arte. As festas são menores que os risos, as histórias e a intimidade que a festa cria ou rompe. O como é pano de fundo pra algo grande e inexplicável.
É bonita a idéia de uma semana de Comunicação e Arte. Algo que englobe a produção artística de quem tem vontade de expor. Cinema, música, teatro, dança, saraus, pinturas, fotos, desenhos, varal de poesia. Tudo ao mesmo tempo para que se respire arte e a cultura entre em erupção e queime mais que vulcão. Será o retrato mais fiel e inteiro da catarse.
O cinema vem através da criação de um acervo audiovisual do curso. Que ficará à disposição de quem quiser no Centro Acadêmico. Com isso, o ele se faz mais palpável e fácil. Tem que ser acessível e a gente quer essa acessibilidade, essa democratização.
A arte vem também como intervenção. Arte de stêncil em parede e Teatro do Oprimido. A arte é um jeito de falar, bem eficaz e gostoso de ouvir. É comunicação. E nessa lei de reciprocidade a gente suga o que pode dela para passar mensagens. Não há separação e é viável a exploração.
Por fim e por si, se pauta a união. Pra gritar a arte a gente se junta com quem a põe em primeiro plano. Os cursos de Artes, Letras e todos os outros podem e vão nos enriquecer.
O Centro Acadêmico de Comunicação entende a cultura como parte do todo em que a gente se insere. É uma questão política, algo inerente. Arte, meu bem, fixa na pele feito tatuagem, que a gente quer e precisa por pra fora, feito espirro.


Chapa 1- Roda Viva
108 votos que não serão esquecidos

6 comentários:

FLORA disse...

Sempre contigo Aline...
Pode contar com a psica sempre que precisar...Acredito no seu dom,nas suas palavras...Você envolve as pessoas...é uma pe na que algumas ainda não conseguiram abrir os olhos...Olhos de cego teimoso...
Beijos

Lara e Luísa disse...

Soh alguns pontos de discordancia..
No programa de vcs tinha a frase " a comunicaçao molda a arte" discordo violentamente. arte eh comunicaçao e tah pra existir coisa mais resistente a influencia da comunicaçao de massa, se era a isso que vcs se referiam....
E tentar tornar a politica palatavel atraves da arte eh primeiro julgar a politica uma coisa dissociada do cotidiano (o que eh muito simplista e ingenuo, ateh o post do seu blog eh politico) e depois achar que ela tem que ser enfiada goela abaixo dos pobres mortais que nao se interessam por ela nos moldes institucionais, ou politica strictu senso, como acho que era ao que vcs se referiam...
Pelo menos essas eram as minhas criticas.

Ah, gostei muito das coisas que vc escreve! Eh descompromissado e despretencioso..

Buzin

luh disse...

talvez eu tenha discordado de muito, mas a ultima frase pra mim, valeu o texto.
"Arte, meu bem, fixa na pele feito tatuagem, que a gente quer e precisa por pra fora, feito espirro."
beijos,
das conversas bebadas do churrascom!
luisa :)

Digs disse...

suas palavras parecem sair com paixao..

assino embaixo sobre o q vc disse.

somebody disse...

酒店經紀人,

菲梵酒店經紀,

酒店經紀,

禮服酒店上班,

酒店小姐,

便服酒店經紀,

酒店打工,

酒店寒假打工,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工經紀,

制服酒店經紀,

專業酒店經紀,

合法酒店經紀,

酒店暑假打工,

酒店兼職,

便服酒店工作,

酒店打工,

制服酒店經紀,

somebody disse...

酒店經紀人,菲梵酒店經紀,酒店經紀,禮服酒店上班,酒店小姐,便服酒店經紀,酒店打工,酒店寒假打工,酒店經紀,酒店經紀,專業酒店經紀,合法酒店經紀,酒店暑假打工,酒店兼職,便服酒店工作,酒店打工經紀,制服酒店經紀,專業酒店經紀,合法酒店經紀,酒店暑假打工,酒店兼職,便服酒店工作,酒店打工,酒店經紀,制服酒店經紀,酒店經紀