quarta-feira, dezembro 04, 2013

Sem ataque

De te ver de longe, me incomodo. Não sei mais escrever na ordem direta. Entendo que a palavra perna no plural sempre denota sensualidade, entretanto são as pernas que sustentam o tronco, acima dos pés.

 Estão bambas as minhas de ver que você ainda existe e aparece inconsciente. Penso que queria que você pensasse em mim, mas é inconsistente, a vontade. Não. É densa-densa-tão-difícil-de-quebrar-quanto-uma-gelatina. Nem derreto. Chapo troço na cabeça pra não lembrar. Pronto. As pernas que durmam.

Eu fiquei máquina.

Um comentário:

rafael alves de oliveira disse...

cuidado! as pernas traem!
vivem escravas de olhos, estômago, cabeça e principalmente, coração!

se puder me visite! faria um blogueiro feliz!
http://essaporradevida.wordpress.com/