terça-feira, dezembro 27, 2011

Da falta

Então agora você me castiga só por existir. Eu fico sabendo que no mundo é possível coisa grande, sentimento puro, afeto gratuito e vontade de ser melhor. Eu fico sabendo que há gente grande, que há um pra mim e sei lá o que mais.
Daí que longe é seu estado imutável. E eu fico tentando jogar com o resto do mundo num lance meio absurdo de desespero enquanto espero você chegar da guerra. Não sei ser assim antiga. Também não sei ser moderna.
A gente quando?
Sem resposta.

4 comentários:

Rayra Alcure disse...

"A gente quando?"
No meu caso é nunca.
Mas eu espero um final mais feliz pra você (mesmo que seja uma coisa assim, sem resposta).

Aline Dias disse...

Ai, Rayra! Nunca é tão grave! Não pode ser sem resposta?

Estéphanie Mognatto disse...

"A gente quando?"

Eis uma pergunta que nem sempre se responde, isso me deixa louca.
Odeio incertezas.

dinha'' disse...

Bem, eu tenho temido mudar, Porque eu construí minha vida ao seu redor, Mas o tempo traz coragem; crianças envelhecem, Estou envelhecendo também.(sinopse do meu blog)
Acessa o meu blog?
"Crianças Envelhecem"

http://criancasenvelhecem.blogspot.com/

Espero a sua visita, se gostar do meu blog, segue lá, ficarei muito feliz.
Desde já obrigada, tenha uma ótima semana.
Atenciosamente Dinha".